Na Gramática do Português da Fundação Calouste Gulbenkian (2013, pp. 105-115) considera-se que os dialetos insulares são claramente distinguíveis dos dialetos centro-meridionais do Continente. A perspetiva aí defendida é a de haver mais traços comuns entre os dialetos madeirenses e açorianos do que entre estes tomados globalmente e os falares do centro e do sul do território peninsular.

Comecemos pela Madeira, com um programa sobre a RTP Madeira, e apuremos o ouvido para “apanhar” os traços fonéticos que são típicos do falar local.

http://www.rtp.pt/play/p924/e89945/rtp-40anos-na-madeira

Anúncios